Amizades no ambiente de trabalho

Amizade faz bem

 
Uma das vantagens de se fazer amigos no ambiente de trabalho é a construção de uma rede de relacionamentos, que poderá ajudar na carreira ao longo da vida. Quando as afinidades são equilibradas com a responsabilidade profissional, é natural que as pessoas se aproximem e, quando uma das duas sai daquela empresa, a amizade continue. Sabendo que o amigo é, além de boa gente, um bom profissional, o colega o indica, surgem convites para projetos conjuntos, sociedades e outras empreitadas. 
 
"Atualmente o número de pessoas empregadas por indicação é muito significativo. É por esse motivo que a rede de contatos, ou network, é muitas vezes crucial na carreira profissional e deve sempre ser  intensificada",  diz Adriana Vera Duarte, diretora da consultoria de recursos humanos Valor Humano.
 
Segundo Adriana, outra vantagem da amizade no trabalho é a leveza que o relacionamento traz para lidar com os desafios profissionais do dia a dia, inclusive aumentando a produtividade. "A capacidade de desenvolver bons relacionamentos faz parte de uma boa postura profissional e é uma competência muito bem vista no meio corporativo".

Elaine Saad, vice-presidente da ABRH-Nacional (Associação Brasileira de Recursos Humanos), diz que a amizade pode ajudar principalmente quando as duas pessoas trabalham em setores distantes, pois facilita a comunicação. O economista Rafael Olivieri Neto, professor da FGV e especialista em administração de recursos humanos, acrescenta um outro ponto positivo relacionado às relações pessoais no ambiente de trabalho: o nível de confiança entre os colegas aumenta muito.
 

Corrupção e favorecimento

 
O problema da amizade no trabalho é que, como em qualquer relação muito próxima, há as possibilidades de brigas, favorecimentos indevidos e fofocas, que não são saudáveis em ambientes profissionais.
 
De acordo com o professor Rafael Olivieri Neto, conforme o tipo de trabalho e o envolvimento das pessoas, o nível de comprometimento entre elas chega a extrapolar a ética. "Ocorrem até casos de corrupção, em que um encobre o outro em nome da amizade", diz ele.
 
Um exemplo: o subordinado faz algo de errado e o chefe encobre o problema para não atrapalhar a amizade: "Fica todo mundo com o rabo tão preso, que, às vezes, a empresa não cresce porque todo mundo tapa o sol com a peneira. Isso não é bom para ninguém. Encobrir a incompetência do outro é como manter um câncer", afirma Rafael.
 
As amizades podem fomentar a fofoca no ambiente de trabalho, tida como "inevitável" por muitos especialistas, porque a pessoa se sente mais à vontade para comentar com quem se confia sobre a atitude de terceiros. Outra situação comum é a briga entre os amigos. Afinal, quanto mais próxima é uma relação, mais está sujeita a desgastes e desavenças ocasionais. 

Quais cuidados tomar


- Observe a cultura da organização e se ela incentiva a amizade entre colegas ou não;
 
- Separe os papéis de amigo e de colega de trabalho, principalmente quando a relação é de chefe e subordinado;
 
- Lide com a relação de forma transparente, para que os colegas saibam que há uma relação pessoal entre vocês;
 
- Evite o isolamento e as panelinhas. Relacione-se amigavelmente também com outras pessoas;
 
- Guarde sigilo sobre informações que não possam ser divulgadas;
 
- Não divida tudo o que acontece em sua vida pessoal no ambiente profissional;
 
- Se precisar fazer uma crítica sobre o colega que é amigo, faça de forma reservada, mesmo que vocês tenham intimidade;
 
- Evite conversas em excesso durante o trabalho, seja pessoalmente, por e-mail ou programas de mensagens instantâneas;
 
- Seja imparcial nas decisões. Não cobre nem mais nem menos do amigo do que dos demais;
 
- Evite a fofoca. Sempre que tiver algo a dizer, fale diretamente com a pessoa;
 
- Se houver um desentendimento de cunho pessoal, ele deve ser discutido fora do trabalho.